O que é um plano de saúde?

| 0

Em meio ao cenário que vivemos no último ano, muita gente tem se perguntado sobre os planos de saúde, e muitos deles tem gerados dúvidas sobre diversas questões relacionadas ao que é um plano de saúde? Como funciona um plano de saúde? E qual a extensão da sua cobertura?

Este artigo vai te ajudar a entender esses pontos e quais os melhores planos de saúde para você.

A primeira questão é:

O que é um plano de Saúde?

Um Plano de saúde ou plano de assistência a saúde é definido na legislação como:

“Prestação continuada de serviços ou cobertura de custos assistenciais a preço pré ou pós estabelecido, por prazo indeterminado, com a finalidade de garantir, sem limite financeiro, a assistência à saúde, pela faculdade de acesso e atendimento por profissionais ou serviços de saúde, livremente escolhidos, integrantes ou não de rede credenciada, contratada ou referenciada, visando a assistência médica, hospitalar e odontológica, a ser paga integral ou parcialmente às expensas da operadora contratada, mediante reembolso ou pagamento direto ao prestador, por conta e ordem do consumidor.” (Lei 9.656 de 1998)

Em resumo é uma prestação de serviço que visa garantir que você tenha atendimento e assistência à sua saúde em hospitais e clinicas credenciadas, além de garantir maiores coberturas com relação a doenças ou cirurgias.

A próxima dúvida é:

Como funciona o plano de saúde?

O plano de saúde funciona como uma prevenção, ou seja, você paga com antecedência por um serviço que você ainda não precisou, porém com a garantia de atendimento caso precise. Um plano de saúde é configurado da seguinte forma:

Imagine um jogo de poker (um jogo de cartas para quem nunca jogou) neste jogo, todos os jogadores fazem uma aposta inicial no começo do jogo, essa aposta vai para um pote que guarda o valor daquela rodada. E toda rodada tem um contemplado que receberá o valor do pote. A diferença é que as mensalidades não são apostas, e não é apenas um contemplado na utilização, ou seja não é um sorteio.

Porém essa analogia serve para exemplificar a ideia de um pote que vai ser utilizado para cobrir os custos de todas as pessoas que tem plano de saúde. Considere o seguinte:

  1. Toda mensalidade dos planos de saúde vão para a administradora,
  2. Essa mensalidade vira Lastro (valor de garantia para ser usado nos atendimentos), assim como a mensalidade de todos que pagam plano.
  3. Quando há a necessidade de um atendimento, os custos são cobertos por esse lastro das administradoras.

A grande vantagem é que nem todo mundo precisa de atendimento ao mesmo tempo, e o lastro gerado através das mensalidades são capazes de suprir as necessidades de todos.

Isso garante que todos que precisarem de atendimento serão atendidos.

Se quiser saber mais sobre planos de saúde clique aqui.

Ai vem a próxima questão:

Existe risco de um plano de saúde quebrar?

Sim, existe e por inúmeros fatores, porém quando isso acontece a carteira é assumida por outra administradora ou operadora de saúde que consiga absorver as vidas cobertas.

Os principais riscos de uma carteira de plano de saúde podem vir de:

  • Uma pandemia – Como a demanda de atendimento é extremamente alta, o lastro pode não suportar
  • Descontrole financeiro – Quando há um descontrole na gestão da carteira do plano.
  • Idade da carteira – Existe também um risco com relação a idade avançada da carteira, onde os cobertos precisam de mais atenção.

Embora esse risco exista, é muito raro ouvir notícias de que uma operadora ou um plano de saúde quebrou. Ou seja, para o beneficiário de um plano o risco é praticamente nulo.

Vendo que os riscos são baixos vale ressaltar:

Para que servem os planos de saúde?

O plano de saúde serve para que você tenha segurança e receba um bom atendimento com um pagamento prévio à sua necessidade, como uma segurança.

Ou seja, um plano de saúde é uma prevenção para possíveis emergências que venham acontecer com você ou sua família.

Falando em família você sabe:

Quais são as modalidades dos planos de saúde?

Segundo o site do governo federal existem as seguintes classificações para planos de saúde: Planos individuais, Planos coletivos e Planos empresariais.

Planos Individuais

Essa categoria, é quando uma pessoa física procura diretamente a operadora do plano e possui uma relação direta com ela, a contratação pode ser feita de forma individual, onde a contratação cobre apenas o titular ou familiar, em que a cobertura cobre toda ou parte da família.

A adesão é livre, e há carência de atendimento (período de espera para que alguns serviços possam ser utilizados), e as coberturas são descritas de acordo com o Rol de procedimentos de cada plano contratado.

A cobrança nesse caso é feita diretamente ao consumidor.

Plano coletivo

Funciona quando sua associação profissional ou sindicato de classe contrata o benefício para você, e a adesão ao plano exige vinculo com essa associação. Também existe carência, porém não para quem ingressa em até 30 dias da celebração do contrato ou em seu aniversário.

A cobertura se de acordo com o rol de procedimentos contratados coletivamente.

A cobrança é feita diretamente ao consumidor pela pessoa jurídica ou contratante ou então pela administradora de benefícios.

Plano empresarial

Similar ao coletivo porém é necessário comprovar vinculo empregatício ou estatutária na contratação.

Passamos então para a principal pergunta:

Quanto custa um plano de saúde?

O preço pode variar entre: operadoras, rol de coberturas, quantidade de pessoas e idade das pessoas cobertas, porém, o valor médio encontra-se entre 150 a 850 reais. Porém dependendo da cobertura esse valor pode ser muito superior.

Fontes:

http://www.plamhag.com.br/noticia/detalhe/252/diferenca-entre-convenio-medico-e-plano-de-saude

https://www.gov.br/ans/pt-br/assuntos/contratacao-e-troca-de-plano/dicas-de-como-escolher-um-plano-de-saude-1/formas-de-contratacao-de-planos-de-saude

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.